sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Violência Psicológica Contra Idosos

Os comentários e frases do tipo “Idade da Maturidade”, “Naquele tempo...”, “No meu tempo é assim”, “Esse velho, esta gagá” e outras conotações violentas mostram que a pessoa idosa “carrega”, culturalmente, uma aceitação ou negação do envelhecimento. O idoso já não tem a quem recorrer, pois o autor/agressor é familiar, caracterizando uma violência doméstica e psicológica. Eles, vítimas da violência psicológica, estão em sofrimento. Necessitando de tratamento psicossocial, de preferência por uma equipe multidisciplinar de profissionais sensíveis e capacitados com a questão do idoso. A falta de tratamento gera patologias de várias ordens podendo se desenvolverem, o debilitando, deixando seqüelas irreversíveis ou até mesmo levando a óbito. Na vida dos idosos brasileiros a violência traz essa “nova’ roupagem, “NÃO DITA”, as ações violentas são “silenciosas” o que explica Minayo, 2003 esclarecer que “no caso brasileiro, as violências contra a geração dos 60 anos se expressam em tradicionais formas de discriminação”. È emergencial ações para combater, sensibilizar e educar as pessoas sobre a violência e suas conseqüências.

“Saber e não fazer é ainda não saber” (Antigo Provérbio).

MINAYO, Maria Cecília de Souza; Violência Contra Idoso: Relevância para um Velho Problema. Cad Saúde Púb. 2003.


Autora: Ana Caroline Moura Cabral / Graduada em Psicologia - FTC/Itabuna.

Um comentário:

Cristiano disse...

Olá, temos que unir forças para ajudar a terceira idade a viver bem com muita saúde e principalmente alegria...


Prevent Senior